Cresce pressão nacional pelo fechamento das escolas em meio ao agravamento da pandemia. Professora Laura, suspenda o retorno presencial, já!

Após constatar a provável contaminação de quatro professores por Covid-19 (que aguardam resultados de exames) e funcionários, a direção da ETEC de Ourinhos divulgou comunicado nesta terça-feira, 2/3/2021, informando a suspensão das atividades presenciais. O mesmo aconteceu na ETEC Polivalente, em Americana, com o surgimento de dois casos confirmados entre docentes.

Durante todo o dia, a direção do Sinteps pressionou a Superintendência do Centro sobre estes dois casos, ameaçando levar a denúncia à imprensa.

Também nesta terça, a imprensa estampou em destaque manifesto nacional conjunto de secretários de Saúde. Frente ao aumento de casos da doença em todo o país e alta ocupação de UTIs, eles defenderam a adoção imediata de "lockdown" nos estados em que a ocupação dos leitos de Covid-19 tenha alcançado mais de 85%, um toque de recolher nacional e a suspensão do funcionamento das escolas. Clique aqui para conferir o documento.

Pela manhã, o secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou à rádio CBN ser a favor de que as escolas sejam fechadas, mesma posição defendida pelo presidente do Instituto Butantan, o médico Dimas Covas. A postura de ambos colide frontalmente com a postura do secretário de Educação, Rossieli Soares, defensor ferrenho da abertura das escolas apesar da iminência de uma catástrofe sanitária no estado e no país.

Em Campinas, o prefeito Dário Saadi informou que a situação dos hospitais públicos e particulares está “à beira de um colapso”, com mais de 90% de leitos de UTI ocupados, e suspendeu o funcionamento presencial nas escolas.

 

Professora Laura, a responsabilidade é sua!

O Sinteps cobra da superintendente do Centro Paula Souza, professora Laura Laganá, imediata suspensão do retorno presencial em todas as unidades em que ainda esteja ocorrendo. Embora um grande número de municípios tenha decretos locais proibindo a reabertura (114, segundo informações do governo do estado) e várias unidades tenham aderido à GREVE SANITÁRIA convocada pelo Sinteps (recusa ao trabalho presencial e manutenção das atividades online), parte das ETECssegue funcionando presencialmente.

Foram necessários poucos dias para os casos de contaminação começarem a pipocar nas unidades, o que já vinha acontecendo nas escolas da rede estadual.

A superintendente do Centro tem aoportunidade, neste momento, de se colocar no lado correto da luta contra a pandemia e evitar que mais casos da doença e de mortes aconteçam. Conteúdos se recuperam, mas vidas não!

 

Comunique o Sinteps de casos na sua unidade

Se houver casos em sua unidade, informe imediatamente ao Sinteps, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Todos na GREVE SANITÁRIA

O Sinteps conclama toda a categoria a aderir à GREVE SANITÁRIA, em defesa da vida! Confira aqui como aderir e todas as iniciativas de mobilização.

 

Campanha de e-mails

Envie e-mails para a superintendente do Centro, professora Laura Laganá (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

Coloque no Assunto: "Professora Laura, defenda nossas vidas!”

No corpo do e-mail: “Professora Laura Laganá, use a autonomia do Centro e suspenda o retorno presencial enquanto não formos vacinados e não houver segurança para o retorno presencial”.