Greve sanitária em defesa da vida: Sábado, 27/2, 14h, tem reunião aberta com grevistas e interessados. Entre e tire suas dúvidas

Reunido em 23/2/2021, o Conselho Diretor (CD) do Sinteps (diretores de base, regionais e da Executiva) debateram o cenário das ETECs e FATECs em meio às pressões pela volta às atividades presenciais no momento mais crítico da pandemia de Covid-19 no estado e no país.

“A irresponsabilidade do Secretaria da Educação e da Superintendência do Centro é criminosa”, criticou a presidente do Sindicato, Silvia Elena de Lima. “Com mais de 250 mil mortos no país, quase 60 mil no estado de São Paulo, e notícias de estrangulamento da rede hospitalar, não é hora de voltar. Porém, se eles não se importam, cabe a nós defendermos a nossa vida, dos nossos familiares e da comunidade escolar”, pontuou Silvia, convocando todos e todas a fortalecerem a GREVE SANITÁRIA, deflagrada pelo Sinteps em 18/2. “O movimento é crescente e já atinge 13 unidades”, destacou.

A greve sanitária, encampada por várias entidades representativas do funcionalismo paulista, entre elas a Apeoesp, propõe a rejeição ao retorno presencial sem condições seguras e vacinação, com a manutenção do trabalho remoto, como vimos fazendo desde o início da pandemia. “Essa é uma greve diferente, pois não queremos parar o trabalho, mas sim mantê-lo em condições seguras”, prosseguiu a presidente do Sinteps.

O Sindicato vem recebendo dezenas de denúncias de falta de estrutura nas unidades, desde a ausência de materiais de limpeza e de segurança, até a existência de locais sem janela e ventilação. O Sinteps estudou o documento do Centro que estabelece os protocolos mínimos para a volta e aponta questões importantes.

 

Sábado, 27/2, 14h: Comando de greve convida grevistas e interessados para reunião

Embora haja um descontentamento generalizado entre os trabalhadores, alguns têm temor de rejeitar a volta presencial e aderir à greve sanitária.

Na reunião do CD, foi aprovada a realização de uma reunião aberta neste sábado, 27/2, às 14h, que será conduzida pelo Comando Central de Greve (membros da direção regional e executiva). Além dos trabalhadores que já aderiram à greve sanitária, o convite se estende a todos e todas que queiram sanar dúvidas sobre o assunto. Participe pelo link: https://us02web.zoom.us/j/81587682356

 

Centro já foi notificado sobre GREVE SANITÁRIA. Veja como aderir

A decisão pela greve sanitária foi comunicada formalmente à direção do Centro Paula Souza (Ofício Sinteps 1/2021), de modo a preservar os direitos de todos os que a ela aderirem (efetivo exercício, por exemplo).

Se a sua unidade decidir pelo retorno e você for contrário à volta presencial (e não for grupo de risco e nem residir com alguém que seja) pode aderir à greve sanitária e seguir fazendo seu trabalho online. Para isso, o Sinteps orienta a preencher uma declaração e enviá-la por e-mail à direção de sua unidade. Envie também uma cópia para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Apoio do DCE das FATECs

No caso das FATECs, o ensino presencial só poderá ser retomado (com 35% do efetivo) na fase amarela. O mesmo valia anteriormente para a educação básica, mas uma canetada do governador encarregou-se se mudar a regra, permitindo a volta em qualquer fase do Plano São Paulo. Pressionado pelos trágicos números da pandemia, o governo decidiu tornar a volta dos alunos “opcional” nas fases laranja e vermelha.  

Em seu boletim Folha Fatecana, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) das FATECs conclama os estudantes a boicotarem o retorno presencial neste momento e apoia a greve sanitária convocada pelo Sinteps. “Não podemos ter caminhado tanto para chegar até aqui e simplesmente apoiarmos que professores, funcionários e alunos coloquem sua vida e sua saúde em risco. Convocamos todos os estudantes de todas as FATECs a permanecerem em casa e incentivarem o boicote às aulas presenciais. Convocamos os professores e trabalhadores, junto ao Sinteps, a aderirem à greve sanitária”, diz um trecho do boletim.

 

Docente: Se depender do Centro, você trabalhará dobrado e de graça

Na reunião do CD, em 23/2, houve muitos relatos sobre professores que retornaram ao trabalho presencial e estão sendo submetidos a situações absurdas. Por exemplo, dar a aula presencial na unidade e, ao mesmo tempo, transmiti-la aos alunos que estão em casa, no ensino remoto. Ou seja, o docente está trabalhando em dobro (dando conta de duas aulas ao mesmo tempo), pode expor seus alunos a risco (em aulas laboratoriais, como dar atenção aos que estão na sala e em casa, ao mesmo tempo?) e, além disso, fornecendo ao Centro um fantástico banco de dados com aulas gravadas (que contribuirão com sua demissão no futuro).

Não se submeta a isso. Questione a direção da unidade e lembre-a que poderá ser responsabilizada em caso de contaminação ou acidente com trabalhadores e/ou alunos.

Os advogados do Sinteps estão preparando um documento, a ser disponibilizado em breve, com orientações políticas e trabalhistas sobre a atuação de cada um neste momento. Ao mesmo tempo, será feita nova cobrança ao Centro sobre isso.

Se irregularidades como esta e outras estiverem ocorrendo em sua unidade, boca no trombone. Envie denúncia (o mais documentada possível) para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Unidades definiram calendário antes do prazo para declaração de grupo de risco

Apesar de o Comunicado 01/RH do Centro dizer que todos têm até 28 de fevereiro para enviar documentos comprovando ser grupo de risco ou residir com quem é, algumas unidades já estão pressionando com calendário de retorno. Isso só poderia ser feito após a definição de todos os que estarão afastados.

Atenção: Se você é grupo de risco ou reside com alguém que está nesta condição, preencha a declaração anexa e entregue em sua unidade. Na tentativa de dificultar que isso aconteça, o Centro vem cobrando documentos comprobatórios que, em muitos casos, levam tempo para obtenção, como é o caso de atestados de saúde. O Sindicato já notificou extrajudicialmente a instituição contra o absurdo de exigir essa documentação toda para comprovar comorbidades. Não havendo acordo, a entidade entrará na justiça.

 

Sinteps fez lives com virologista, professoras e direções estudantis. Assista

Nos dias 12/2 e 15/2, o Sindicato promoveu novas lives sobre o retorno presencial. Na primeira, representantes do Sinteps receberamLeonardo Argolo, presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) das FATECs. Confira em: https://www.youtube.com/watch?v=BX8tNmZDO4s

Na segunda live, contamos com a presença de Silvia Gatti (biomédica, virologista, docente aposentada da Unicamp e atual presidente da Associação dos Docentes da Unicamp/ADunicamp); Nilcea Fleury (professora da rede estadual e presidente da Federação Estadual dos Trabalhadores da Educação no Estado de SP - FETE-SP); Silvia Elena de Lima (presidente do Sinteps). Assista em https://www.youtube.com/watch?v=KilRxXOPSas

 

RETORNO É IRRESPONSÁVEL E ASSASSINO. GREVE SANITÁRIA EM DEFESA DA VIDA!

CONTEÚDOS PODEM SER RECUPERADOS. A VIDA, NÃO!