Sinteps questiona retorno presencial com pandemia em alta e vacinação indefinida. Assunto será tratado com Superintendência

O quadro atual de disseminação da Covid-19 já é mais grave do que nos primeiros meses após a decretação da pandemia mundial. No estado de São Paulo, o número de casos supera 1,5 milhão e o de mortos, 50 mil.

Neste cenário dramático, que ganhou algum alento com o início da vacinação, mas ainda longe de acabar, chama a atenção a pretensão do governo Doria de retornar as aulas presenciais no início de fevereiro. O anúncio gerou preocupação em todos os que trabalham nas escolas, nas famílias e estudantes. As entidades sindicais dos trabalhadores, como a Apeoesp, o Sinteps e outras, vêm se organizando para evitar que isso aconteça, sob o risco de vermos o total de casos e óbitos aumentar mais ainda.

Em manifesto assinado por mais de 80 entidades representativas, a Frente Paulista em Defesa do Serviço Público, da qual faz parte o Sinteps, destacou: “A preservação da vida passa necessariamente pelo distanciamento físico e isso implica manter sob funcionamento somente as atividades essenciais. Os governos têm desconsiderado a atual situação da pandemia, com aumento significativo do número de casos, hospitalizações e mortes, e acenam, entre outras coisas, com o retorno às aulas presenciais na Educação Básica”.

 

Greve sanitária

O Conselho Diretor do Sinteps, reunido em 16/12/2020, já havia deliberado por unanimidade manter a posição da nossa entidade quanto à retomada das atividades presenciais: retorno somente quando houver garantia de vacinação e condições sanitárias seguras para todos. Sem estas garantias, o Sinteps (junto com outras entidades do funcionalismo estadual) vai propor à categoria a GREVE SANITÁRIA, ou seja, manutenção do trabalho remoto e recusa ao presencial.

 

Reunião com a Superintendência dia 22/1

A pedido da Diretoria Executiva do Sinteps, está agendada uma reunião com a Superintendente do Centro, professora Laura Laganá, para sexta-feira, dia 22/1. O tema da reunião é o retorno presencial.

No dia 29/1, o Conselho Diretor do Sindicato volta a se reunir para debater os informes da reunião com a Superintendência e apontar os indicativos para a categoria.

Acompanhe as informações no site (www.sinteps.org.br), Face, Twitter e mala direta da entidade.

 

É grupo de risco ou tem familiares nesta condição?

O Sinteps orienta os trabalhadores (administrativos, docentes e auxiliares de docente) que estiverem em grupos de risco ou possuírem familiares nesta condição, que preencham a declaração (clique para acessar o arquivo em PDF ou DOC) e a entreguem à direção da(as) unidade(s) onde atuam.

A possibilidade da declaração foi garantida em reunião entre Sinteps e Superintendência em outubro do ano passado.