Reunida na sede do Sinteps em 7/6, a direção do Sindicato – Diretores de Base, Regionais e Executivos – discutiu os desdobramentos da campanha salarial de 2017, a organização do VIII Congresso da categoria e o chamado a uma nova greve geral dos trabalhadores no país.

 


O primeiro ponto debatido foi a situação do projeto de lei de equiparação salarial dos administrativos do Centro à Lei 1.080/2008. Na última negociação entre Sinteps e Superintendência, em 19/6, a informação era de que o projeto estava na Secretaria da Casa Civil, última etapa antes de chegar às mãos do governador Geraldo Alckmin. Desde então, diretores do Sindicato têm mantido contato quase diário com o chefe de Gabinete do Centro, Luiz Carlos Quadrelli. A última posição é que o projeto já saiu da Casa Civil, também sem nenhuma objeção, como já havia ocorrido nas outras secretarias. Agora, depende exclusivamente do governador encaminhá-lo para a Assembleia Legislativa (Alesp).


O Sinteps aguarda que isso ocorra para, então, agregar ao projeto algumas emendas, que são as seguintes:

  • Extensão do enquadramento por titulação aos administrativos e auxiliares docentes. Este enquadramento, conquistado na carreira de 2014, aconteceu somente para os docentes, em julho do ano passado.
  • Implantação de uma gratificação para o pessoal dos cargos em confiança, similar a uma existente na Lei 1.080/2008 (chamada Abono de Satisfação aos Usuários), a ser incorporada aos salários. Como a equiparação salarial dos administrativos do Centro à Lei 1.080/2008 não trará melhorias para este pessoal, a implantação da gratificação seria um avanço importante.
  • Instituição do terceiro nível para as funções de escolaridade de nível básico.


Na reunião de 19/6, a superintendente do Centro, professora Laura Laganá, disse ter concordância com o teor das emendas e se comprometeu a apoiá-las junto ao governo e na Alesp.


A direção do Sindicato já solicitou audiência com alguns deputados importantes neste processo, como é o caso de Barros Munhoz, líder do governo na Alesp.


Pressão no governador e alerta ao chamado do Sinteps

Na reunião da direção do Sindicato, em 7/6, foram discutidas as perspectivas de conquistas neste momento.  Desde o início do ano, o Sinteps vem mobilizando a categoria para pressionar o governo a negociar nossas reivindicações. Sem pressão, nada acontece. A promessa de envio do projeto de equiparação salarial dos administrativos à Lei 1.080/2008 e os poucos avanços que tivemos nas negociações realizadas são fruto das mobilizações que conseguimos construir neste ano, desde as expressivas adesões aos movimentos nacionais contra as reformas (15/3, 31/3 e 28/4) até as atividades específicas propostas para 19/5. Embora muito descontente, a categoria mostrou-se dividida sobre a necessidade de realizar uma greve dos trabalhadores do Centro por tempo indeterminado.


Diante desse quadro, foi consenso na reunião de que as possibilidades de avanço, agora, concentram-se mais concretamente nos itens relativos aos administrativos (equiparação salarial à Lei 1.080/2008) e aos administrativos + auxiliares docentes (extensão do enquadramento por titulação).


Como o projeto encontra-se nas mãos de Alckmin, conforme relatado acima, o Sindicato propõe a realização de uma campanha de e-mails ao governador. Ao mesmo tempo, alerta os trabalhadores da necessidade de uma forte mobilização tão logo o projeto chegue à Alesp, o que pode ocorrer a qualquer momento. Fique atento às divulgações.


A sugestão de e-mail ao governador é:

 

“Ilmo. Sr. Governador Geraldo Alckmin,

 

            Nós, trabalhadores do Centro Paula Souza, que dedicamos todos os nossos esforços e empenho no oferecimento de serviços de qualidade à população, solicitamos a V. Sa. que envie com a máxima urgência à Assembleia Legislativa o projeto de equiparação salarial dos funcionários administrativos à Lei 1.080/2008. Sabemos que, embora de custos ínfimos para os cofres do governo, esta equiparação fará justiça ao segmento que concentra os salários mais baixos da instituição.

            Também reivindicamos de V.Sa. atenção à reivindicação de extensão do enquadramento por titulação para os administrativos e auxiliares docentes, o que também representará custos baixíssimos para a instituição, mas fará justiça a estes trabalhadores.

 

            Atenciosamente.

            Xxxxxxxxx

 

Obs: Entre em http://www.saopaulo.sp.gov.br/fale-conosco/  e poste a mensagem.

 

 

Greve geral em 30 de junho


As Centrais Sindicais indicam nova Greve Geral no país em 30 de junho, como mais uma importante – e decisiva – etapa na luta contra as reformas que confiscam direitos da população trabalhadora. Diante do agravamento da crise política e econômica, somam-se à luta contra as reformas previdenciária e trabalhista e a terceirização duas palavras de ordem fundamentais: “Fora, Temer” e “Diretas, já”. É preciso que o povo tenha o direito de decidir democraticamente os destinos que quer dar à crise, sem arranjos golpistas, como a eleição indireta por um Congresso recheado de corruptos e inimigos dos trabalhadores.


A nova greve geral é um desdobramento das expressivas manifestações já realizadas neste ano (15 e 30 de março), à greve geral que parou 40 milhões de trabalhadores (28 de abril) e à marcha de 150 mil pessoas em Brasília (24 de maio).

Na reunião da direção do Sinteps, em 7/6, foi unânime a decisão de indicar aos trabalhadores do Centro Paula Souza a adesão à greve.

Clique aqui para ler matéria específica sobre isso.

 

 

Tudo pronto para o VIII Congresso

Conforme o Sindicato vem divulgando, acontece nos dias 12 a 16 de julho o VIII Congresso dos Trabalhadores do Centro Paula Souza. O congresso é a instância organizativa mais importante da entidade. É nele que delegados e observadores reúnem-se para discutir a conjuntura política e sindical, os caminhos e descaminhos da educação profissional e tecnológica, fazer balanços da atuação da entidade e traçar planos de luta para o período seguinte.

O prazo para a inscrição de delegados e observadores encerrou-se no dia 31/5 e a escolha (por meio de eleições na unidade) aconteceu de 5 a 7/6.


Independentemente de ser delegado ou observador, qualquer filiado pode escrever uma tese, abordando todos os temas previstos para o Congresso (abaixo), ou redigir contribuições pontuais (sobre um dos pontos do temário). O prazo para isso é 20/6 e o endereço para envio é Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Clique aqui para ler matéria com mais detalhes sobre o VIII Congresso.