A crescente mobilização que toma conta das unidades do Centro Paula Souza – que teve seu ponto alto na expressiva adesão ao dia de paralisação em 15/3 – começa a render seus primeiros frutos.


Em comunicado divulgado nesta segunda-feira, 3/4/2017, a superintendente do Ceeteps, professora Laura Laganá, informa que o governador Geraldo Alckmin encaminhará “nas próximas semanas” à Assembleia Legislativa (Alesp) um projeto de lei complementar, com o objetivo de reclassificar os servidores administrativos e equipará-los aos vencimentos da Lei 1.080/2008, que rege os salários do conjunto dos administrativos do estado. Clique aqui para ler a íntegra do comunicado


A equiparação salarial à Lei 1.080/20108 é uma reivindicação antiga do Sinteps, que tomou a iniciativa de elaborar um projeto de lei com este teor e entregá-lo pronto à Superintendência. No entanto, o projeto estava parado nas secretarias de governo há meses. A notícia de que o governador, finalmente, pretende enviá-lo à Alesp certamente é fruto da mobilização crescente dos trabalhadores da instituição.


Estamos em plena campanha salarial e já protocolamos nossa Pauta de Reivindicações há mais 30 dias. Agora, queremos que o projeto de equiparação à Lei 1.080/2008 siga o mais urgente possível à Alesp. E queremos também que o governo negocie seriamente com o Sinteps todas as nossas reivindicações (veja a seguir).

 

Construir a GREVE!

A primeira rodada de assembleias setoriais mostrou que existe uma grande insatisfação na categoria (clique aqui para ver nota do Sinteps com o resultado das assembleias setoriais), mas que é preciso ampliar a mobilização. Estamos em ESTADO DE GREVE, rumo à greve geral da categoria por tempo indeterminado!


Nesta quinta-feira, 6/4, a direção do Sinteps (Diretores de Base, Regionais e Executivos) vão se reunir para discutir e deliberar coletivamente os encaminhamentos para viabilizarmos a greve geral da categoria

 

Relembrando: O que estamos reivindicando

Nossas prioridades na data-base 2017 são: reposição salarial com base nos índices da inflação medida pelo ICV-Dieese, respeito à política salarial com os índices do Cruesp (os mesmos pagos na Unesp), valorização aos administrativos, revisão da carreira de 2014, plano de saúde, auxílio alimentação, entre outros.


Em relação ao índice salarial, estamos reivindicando32,34% para todos. Esse número leva em consideração o fato de que não tivemos reposição alguma em 2014, 2015 e 2016 e a previsão inflacionária para o ano de 2017.


A recuperação salarial do pessoal técnico-administrativo do Ceeteps, indiscutivelmente o mais prejudicado e mais arrochado da instituição, conta com reivindicações adicionais. Acompanhe a seguir os principais pontos da Pauta, além do índice de 32,34%:

 

Equiparação do piso dos técnico-administrativos à Unesp

Além da reposição inflacionária para todos, a Diretoria Executiva propõe um abono para os técnico-administrativos, com a incorporação aos vencimentos, a fim de recuperar as perdas específicas deste segmento. Com este abono, a intenção é equiparar os pisos à Unesp, uma vez que o Centro ainda é vinculado à Universidade.


Também queremos de que o governo cumpra a Lei 1.080/2008 (que rege os administrativos do estado). Em relação a isso, vale lembrar que, após muita insistência do Sinteps, em 2016 a Superintendência concordou em enviar uma proposta de projeto de lei (elaborada pelo Sindicato) ao governo. Atualmente (fevereiro/2017), o projeto encontra-se parado na Secretaria de Planejamento e Gestão, de onde deve seguir para a canetada final do governador, que é quem tem a prerrogativa de mandá-lo para aprovação final na Alesp. O mesmo vale para o projeto de lei (elaborado pelo Sinteps), que estende o enquadramento especial por titulação aos técnico-administrativos e auxiliares docentes.

           

Benefícios

Implantação do Plano de Saúde institucional (conquistado na carreira em 2014, mas condicionado à existência de recursos); auxílio alimentação de R$ 850,00 para todos (além do ‘vale coxinha’); auxílio creche (valor de mercado); auxílio combustível igual ao vale transporte; licença maternidade de 180 dias para todas, entre outros.

 

Revisão da Carreira implantada em 2014, nos seguintes itens:

  • Enquadramento por titulação em 2017 para auxiliares de docente e técnico-administrativos;
  • Instituição do 3º nível para as funções de escolaridade de nível Básico;
  • Implantação da jornada para os docentes (10, 20, 30 e 40 horas);
  • Fim das avaliações de desempenho, com respeito à antiguidade – de 2 em 2 anos;
  • Fim do interstício para as titulações e respeito à lei da carreira;
  • Política salarial: retorno da aplicação dos índices de reajuste salarial definidos pelo Cruesp;
  • Respeito à Sexta-Parte;
  • Aumento das letras em função da existência de trabalhadores com mais de 30 anos de serviço;
  • Aumento das referências para todas as tabelas, de modo a garantir as titulações de doutorado (ETECs), mestrado (administrativos e auxiliares docentes) e pós-doutorado (FATECs).

 

Campanha de redemocratização do Ceeteps

Queremos eleições diretas e paritárias (peso igual para os três segmentos) em todos os níveis (Superintendência, diretores de unidade, coordenadores). Também queremos ampliar e garantir a participação paritária da comunidade, por meio de eleições diretas, no Conselho Deliberativo da autarquia.

 

Veja a íntegra da Pauta de Reivindicações 2017 aqui.