FATECs também serão utilizadas no NOVOTEC

Lançado oficialmente em março, em parceria com as Secretarias de Desenvolvimento Econômico (SDE) e da Educação (Seduc), o NOVOTEC contará com quatro modalidades: Integrado, Expresso, Móvel e Virtual.


Segundo o governo, a iniciativa tem como objetivo ampliar o acesso a cursos de qualificação e implantar as diretrizes do Novo Ensino Médio no Estado, oferecendo o itinerário de formação técnica e profissional no Centro Paula Souza e nas escolas da rede estadual.


Não havia informações, nem perspectivas de utilização das FATECs no programa durante o anúncio do governo no dia 1º de março.


No dia 23/4/2019, cerca de 70 diretores de ETECs, de diferentes regiões do estado, participaram de um encontro na sede da autarquia para discutir a implantação do programa NOVOTEC.


Porém, no dia 16/5/2019, cerca de 50 diretores de FATECs participaram de uma reunião na sede do Centro Paula Souza para debater a implantação do programa NOVOTEC nas unidades de Ensino Superior da instituição. Depois, diretores de ETECs também foram chamados a conhecer a proposta.


O resumo do que serão as novas modalidades está no quadro anexo, apresentado aos diretores.


Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, “a proposta, neste primeiro momento, será aproveitar a estrutura e o conhecimento gerado nas FATECs para oferecer cursos rápidos de qualificação profissional em áreas relacionadas à tecnologia”. Ela diz que “vivemos um contexto desafiador em vários sentidos para a retomada do crescimento econômico, então, devemos investir cada vez mais em modelos flexíveis de ensino para atender um número ainda maior de pessoas utilizando os nossos recursos. ” (g.n.)


As perguntas que ficam no ar são:

  • O que virá em segundo momento?
  • O que o governo entende como modelos flexíveis de ensino?

 

Participação da comunidade é fundamental

O Sinteps vem alertando há tempos que,além do enxugamento e do empobrecimento dos currículos, a implantação plena da reforma do ensino médio nos próximos vestibulinhos poderá significar a diminuição de empregos para os docentes e o rebaixamento da formação dos estudantes.


É preciso que a administração do Centro dê informações claras à sua comunidade e à sociedade, não somente aos diretores. A utilização das FATECs, mesmo que em primeiro momento “apenas” para utilizar a infraestrutura e conhecimento de nossas Faculdades de Tecnologia, acende um alerta.


Mudanças tão profundas nas características dos cursos, que afetam o emprego dos docentes e a qualidade da formação oferecida aos estudantes, não podem ser definidas sem um debate amplo e democrático com os envolvidos.