30 DE MAIO: Novos atos em todo o Brasil, em defesa da educação pública e do emprego, contra a reforma da Previdência. Rumo à greve geral em 14 DE JUNHO

No dia 15 de maio, mais de um milhão de pessoas saíram às ruas em mais de 200 cidades de todo o Brasil, empunhando faixas e bandeiras em defesa da educação e contra a reforma da Previdência. O estopim foi o corte de recursos da educação pública, desde o ensino básico até as universidades federais, que tiveram cortadas 30% das verbas de custeio e investimento.


A reforma da Previdência (PEC 6/2019) também esteve no centro dos protestos em 15 de maio. Ao contrário do que dizem os porta-vozes do governo e a grande imprensa, não se trata de combater privilégios, mas sim de restringir os direitos à aposentadoria de milhões de trabalhadores e enriquecer ainda mais os grandes bancos e seguradoras privados, verdadeiros urubus à espera da capitalização proposta pelo ministro Paulo Guedes. A dívida das grandes empresas com a Previdência, que soma cerca de R$ 450 bilhões (dados do relatório da CPI da Previdência no Senado Federal, divulgado em outubro/2017) sequer é citada.


Em 30 de maio, nossa reação vai continuar. Novas manifestações estão sendo convocadas em todo o país. O Sinteps apoia e convida todas e todos a participarem. Em São Paulo, o ato central está marcado para o Largo da Batata, a partir das 14h. Informe-se sobre as atividades em seu município e participe também.

 

Rumo à greve geral


14 de junho vai ser dia de greve geral, convocada de forma unificada pelas centrais sindicais, movimentos sociais e populares. Em pauta, a defesa da educação e do emprego, e a luta contra a reforma da Previdência!

 

Clique aqui para conferir o “Aposentômetro do Dieese”