Vestibulinho 2019: Matriz de ETIM divulgada mostra confisco de quase 600 horas!

A Administração do Centro Paula Souza não respondeu ao “Manifesto do Sinteps em defesa da qualidade dos cursos e dos direitos da comunidade escolar” (clique aqui para conferir), no qual no Sindicato cobra a imediata divulgação das matrizes curriculares de todos os cursos oferecidos no Vestibulinho 2019.


No Manifesto, o Sindicato mostra um resumo do que está sendo oferecido no Vestibulinho 2019, com destaque para a criação do chamado “M-Tec” (Ensino Médio com Habilitação/Qualificação Profissional), um novo modelo de ensino médio/técnico adaptado aos preceitos da reforma do Ensino Médio, com carga horária de 3.000 horas, num único período. Pelo levantamento do Sinteps, estão sendo ofertados 127 cursos “M-Tec” (sendo 21 tipos diferentes, como Administração, Logística, Marketing etc.).


Na análise do Sindicato, o “M-Tec” é a modalidade a ser implantada definitivamente no Centro quando a reforma do EM puder ser consolidada, o que depende da aprovação final da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Portanto, bem mais enxuto e empobrecido do que o atual ETIM. De acordo com o previsto na Lei 13.415/2017, o cronograma de implantação da reforma deverá ser divulgado no primeiro ano letivo subsequente à data de publicação da BNCC, com início da implantação a partir do segundo ano letivo.


Para 2019, o Vestibulinho mantém a oferta do ETIM. Mas, como as matrizes curriculares dos cursos não foram divulgadas, não se sabe o conteúdo que estes cursos terão no próximo ano.O que se sabe, até o momento, é que há modificações expressivas nas matrizes dos ETIMs novos. É o que revela a matriz de um cursonovo, do eixo de “Informação e Comunicação”, intitulado “Técnico em Desenvolvimento de Sistemas Integrado ao Ensino Médio”, que substitui o antigo ETIM de Informática. O Sinteps teve acesso à grade deste novo curso e detectou que “desaparecem” aproximadamente 600 horas/aula nos três anos do curso. Das cerca de 4.600 horas/aulas tradicionais nos cursos da mesma área, a matriz de Desenvolvimento de Sistemas prevê somente 4.040. A redução maior recai sobre as disciplinas de História, Biologia e Química (de 240 horas/aula para 160), Filosofia e Sociologia (de 120 horas/aula para 80) e Espanhol (antes com 80 horas/aulas, agora aparece sem disciplina atribuída). Clique aqui para conferir a matriz de Desenvolvimento de Sistemas.


Ou seja, o Centro promove uma mudança considerável na matriz do curso, sem debate com os professores envolvidos, que perderão aulas e sequer devem ser preparados para adaptar o conteúdo de suas disciplinas à carga reduzida. O Centro também não joga limpo com os estudantes e suas famílias, que entrarão na instituição em 2019 sem conhecimento do conteúdo dos cursos.

 

Queremos ver TODAS as matrizes curriculares!

Em sintonia com os anseios da comunidade escolar – trabalhadores e estudantes –, o Sinteps reivindica que a administração do Centro Paula Souza divulgue imediatamente as grades curriculares de TODOS os cursos oferecidos no Vestibulinho 2019. O Sindicato está solicitando uma audiência com a Superintendência para debater essa situação e reivindicar o oferecimento das disciplinas na forma como ocorre atualmente, sem prejuízo da qualidade dos cursos, da formação dos alunos e da garantia do emprego para os docentes da instituição.


O Sinteps seguirá denunciando o caráter retrógrado da reforma do Ensino Médio, na medida em que empobrece os currículos, acelera a formação, confisca empregos e direitos, precariza as relações de trabalho. Ao mesmo tempo, o Sindicato seguirá organizando e conclamando a comunidade das ETECs a reagir, em defesa de seus direitos e do seu emprego, bem como pela qualidade dos cursos que oferecemos à população!