Avançar na luta: Rejeitar a BNCC e reivindicar a revogação da reforma do ensino médio

A realização de um dia de debates sobre a proposta da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), convocada pelo Ministério da Educação (MEC) para 2/8, foi uma tentativa demagógica do governo federal para emplacar a reforma do ensino médio, amplamente rejeitada pela comunidade acadêmica.


O chamado “Dia D da BNCC” aconteceu principalmente nas escolas da rede estadual e a rejeição ao processo foi grande. Na verdade, não houve um debate real, uma vez que os professores foram chamados apenas a responder um questionário online do MEC, com questões fechadas e sem espaço para questionamentos. Em boa parte das escolas, os docentes boicotaram o questionário e redigiram textos próprios, com críticas à BNCC e pedido de revogação da reforma do ensino médio.


No Centro Paula Souza, a Superintendênciaomitiu-se até mesmo de fazer a consulta proposta pelo MEC. Nas ETECs onde houve alguma movimentação neste sentido, a iniciativa partiu deprofessores e servidores técnico-administrativos, e também predominou a rejeição à BNCC e à reforma.


O Sinteps conclama a comunidade das ETECs a ampliar este movimento de resistência. No início de 2018, o Centro já deu demonstrações claras do que pretende fazer nas ETECs a partir da reforma do ensino médio. Em várias unidades, foram implantados os “cursos piloto”, com carga horária reduzida, diminuição de aulas e rebaixamento do currículo. Após a aprovação da BNCC e início da vigência oficial da reforma do ensino médio, a perspectiva é de consolidação deste novo modelo, com demissões de professores e sucateamento da qualidade dos cursos oferecidos à sociedade.


Vamos nos posicionar contra a BNCC e exigir a revogação da reforma do ensino médio. Se a sua unidade já fez esta discussão e produziu materiais, envie tudo ao Sindicato, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., que os enviará aos destinatários (MEC, Centro Paula Souza). Também informe se houver atividades agendadas, como é o caso da ETEC Lauro Gomes – onde trabalhadores e estudantes estão organizando debates e eventos junto à comunidade de São Bernardo. Após sua realização, envie os materiais produzidos, matérias de jornal e/ou fotos do que foi feito, para que o Sinteps faça a divulgação junto às outras ETECs.

 

Subsídios para produção de documentos sobre a BNCC e a reforma

Converse com os colegas e discuta a importância de debater na sua unidade a BNCC e os impactos da reforma do ensino médio. Para a redação de um documento com a posição da unidade, utilize estes subsídios:

 

Carta aberta da ETEC xxxxxxx ao MEC e ao Centro Paula Souza

 

Somos contrários à reforma do ensino médio da forma proposta pelo governo federal, imposta por meio de medida provisória e transformada na Lei 13.415/2017, e à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que está sendo proposta, que não reflete as necessidades da sociedade, que anseia por um ensino médio de qualidade e que prepare os jovens para o conhecimento e a cidadania. Rejeitamos esta BNCC e queremos a revogação da reforma do ensino médio pelas razões que seguem:

 

  1. TODAS AS DISCIPLINAS, exceto Português e Matemática, deixam de ser obrigatórias na atual BNCC!

  2. Com isso, a reforma do ensino médio causará DESEMPREGO EM MASSA entre professores (as), pois além de muitas disciplinas não serem mais obrigatórias, também serão juntadas em algumas "áreas de conhecimento"!

  3. Esta BNCC torna mais de 40% do currículo como "parte flexível", sem nenhum detalhamento sobre quais disciplinas estarão nessa modalidade!

  4. Esta reforma abre espaço para que as aulas desta "parte flexível" sejam oferecidas fora da escola, online ou em institutos privados, podendo fazer de boa parte do ensino médio um "curso à distância"!

  5. Abre espaço também para contratações de docentes pelo chamado "notório saber", ou seja, sem obrigatoriedade de formação pedagógica e/ou específica na área!

  6. Esta BNCC é apoiada por grandes empresas, como Fundação Lemann, Fundação Roberto Marinho e até bancos, interessadas em privatizar o ensino e obter investimentos públicos para gerir e lucrar com a educação!

  7. A "consulta" para formular a BNCC não envolveu professores(as) e sociedade, dando ouvidos apenas aos interesses empresariais e do alto escalão do governo!

  8. Esta BNCC faz parte da "reforma" do ensino médio, que está mais para contrarreforma, imposta através de Medida Provisória e tornada lei sem uma consulta democrática!

  9. O itinerário formativo específico da formação técnica e profissional, que atingirá diretamente os professores da formação profissional e tecnológica, sequer é apresentado! 

 

Petição popular

Entidades sindicais e educacionais organizaram uma petição popular, reivindicando a revogação da reforma do ensino médio e rejeitando a BNCC. Para assinar, acesse:

https://peticaopopular.com.br/view.aspx?pi=BR84381