Defesa do emprego e dos cursos: Iniciativas de resistência e luta se ampliam pelo estado

Após o chamado feito à mobilização – “Acorda, trabalhador do Ceeteps!” – oSinteps vem recebendo informações sobre iniciativas importantes nas unidades por todo o estado.



Em vários locais, professores e funcionários técnico-administrativos, em muitos casos contando com o apoio de estudantes, estão contatando vereadores, prefeitos e deputados, fazendo manifestações e dando entrevistas à imprensa.


Nesta quarta-feira, 22/11, por exemplo, a ETEC Lauro Gomes, em São Bernardo do Campo, protagonizou um dia intenso de atividades. Um grupo de professores, acompanhados de cerca de 40 estudantes e portando a bandeira da escola, foram à sessão da Câmara de Vereadores. Lá, conseguiram o compromisso de várias moções de apoio, o agendamento de audiências com o prefeito e deputados estaduais da região e a possibilidade de um encontro com o vice-governador, Márcio França. Também deram várias entrevistas e já estão com espaço garantido para falar na tribuna da Câmara na próxima quarta, 29/11. Clique aqui para conferir uma das matérias publicadas na imprensa local . 


A combativa turma da Lauro Gomes já planeja os próximos passos: buscar moções de apoio em outras cidades do ABC, visitar o maior número possível de gabinetes de deputados, entre outros. Em documento de avaliação do dia, eles dizem:


“Vamos nos unir, esclarecer aos alunos, jornalistas, políticos e sociedade incansavelmente, vamos permanecer mobilizados, questionadores, críticos a este momento tão obscuro por que passamos, que está desprezando tantos anos de trabalho sério que desenvolvemos em nossa escola. Sabemos que é fim de ano, porém, não vamos esmorecer, pois é exatamente isso que o governo espera com todas essas mudanças bruscas, sem consulta à comunidade escolar, deixar-nos atônitos e apáticos.


Queremos atribuição oficial de aulas em cumprimento ao calendário escolar, manutenção da carga horaria de 2017 e manutenção dos cursos já existentes. Mudança positiva e construtiva não se faz da noite para o dia e sem consultar as pessoas envolvidas.


Não vamos cruzar os braços diante da história de sobrevivência e resistência das ETECs e FATECs como referências de ensino público de qualidade.”

 

O que está em jogo

Como o Sinteps vem denunciando, a Superintendência do Centro Paula Souza anunciou um conjunto de medidas que colocam em risco, efetivamente, o emprego dos professores de ETEC em 2018. São iniciativas que visam a iniciar a implantação da malfadada reforma do ensino médio nas ETECs antes mesmo que seja aprovada e divulgada a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), responsável por definir os “novos” currículos.


São elas: o adiamento do Vestibulinho para janeiro, o segredo em torno das matrizes curriculares dos cursos (desconhecidas até o momento), a criação de cursos “piloto” com cargas reduzidas e, por fim, a mudança da atribuição de aulas de dezembro para fevereiro. Somadas, estas medidas apontam concretamente para o risco de demissão de docentes em larga escala.

 

Materiais de apoio

Todos os materiais de apoio à mobilização e mais detalhes sobre a situação estão no site (www.sinteps.org.br), em “Fique por dentro” – “Mobilização em novembro 2017”. Você também pode clicar abaixo e fazer o download por aqui:

“Carta aberta à comunidade”

Modelo de moção a ser colhido nas Câmaras de Vereadores

Modelo de apoio a ser pedido aos deputados estaduais

Boletim Sinteps, com o conteúdo desta matéria em formato para impressão e distribuição