Está no Diário Oficial do Estado de São Paulo deste sábado, 7/10/2017, a sanção do governador Geraldo Alckmin ao PLC 19/2017, que garante a equiparação salarial dos técnico-administrativos do Centro Paula Souza aos valores constantes na Lei 1.080/2008. Após a sanção, o projeto torna-se lei: Lei Complementar 1.311, de 6/10/2017.


Alckmin segurou a canetada até o último dia, de modo a jogar o começo dos efeitos da lei para novembro (holerites de início de dezembro).


A publicação da lei é o desfecho de uma longa luta, encaminhada pelo Sinteps desde 2014, quando entrou em vigor a nova carreira. Desde então, o Sindicato vinha cobrando da Superintendência e do governo a equiparação salarial dos técnico-administrativos do Centro à Lei 1.080/2008, que regula os vencimentos deste segmento nos demais setores do serviço público paulista.


Após o envio do projeto à Assembleia Legislativa (Alesp), o Sindicato apresentou um conjunto de emendas, na tentativa de inserir outras conquistas para todos os trabalhadores da instituição, mas o governador proibiu os deputados de negociar qualquer uma delas.


Agora, é hora de comemorar este avanço dos técnico-administrativos, sem dúvida o setor mais arrochado da nossa categoria, e tirar desta conquista a energia e a garra para seguir lutando por todas as nossas reivindicações.

           

Nossa luta vai prosseguir

No dia 2/10, diretores do Sinteps protocolaram junto à Superintendência do Centro Paula Souza, o projeto de nova carreira para os trabalhadores da instituição. O projeto foi debatido e aprovado no VIII Congresso dos Trabalhadores do Ceeteps, realizado em julho deste ano.


A entrega do projeto sinaliza o início das discussões em torno da data-base de 2018, pois as alterações pedidas no documento traduzem as principais reivindicações da nossa categoria,e é preciso que os trabalhadores fortaleçam a mobilização por elas:

 

  • Novas tabelas reajustadas para todos os segmentos;
  • Implantação da jornada para os docentes (10,20,30 e 40 horas);
  • Fim das avaliações de desempenho, com respeito à antiguidade – de 2 em 2 anos;
  • Fim do interstício para as titulações e respeito à lei da carreira;
  • Política salarial: retorno da aplicação dos índices de reajuste salarial definidos pelo Cruesp;
  • Retorno da sexta parte;
  • Aumentar as referências para todas as tabelas para garantir as titulações doutorado: (Etecs); Mestrado: (técnicos e administrativos e auxiliares de docentes) e pós-doutorado para as Fatecs;
  • Extensão da licença maternidade de 180 dias às servidoras celetistas;
  • Implantação do plano de saúde institucional;
  • Extensão do enquadramento especial por titulação aos administrativos e aos auxiliares de docente;

 

... dentre outras, que podem ser conferidas na íntegra do Projeto de Nova Carreira defendido pelo Sinteps. No documento, você também confere mais detalhes sobre cada reivindicação.

 

 

Clique aqui para acessar a publicação da Lei 1.311/2017 no Diário Oficial, que contém as novas tabelas salariais.